Barbeiro


O saudosismo e a nostalgia são armas que encontramos pra nos defender do que é novo e nos assusta. Nos agarramos com força a eles, em busca de uma zona de conforto na qual tudo é familiar. É reconfortante entrar numa delas. Aconteceu comigo outro dia: fui ao barbeiro.

Continuar lendo

Anúncios

Taxi


A tarde estava fraca de passageiros. Em frente ao aeroporto de Congonhas, os taxistas batiam papo encostados aos seus carros. Fazia calor – nenhuma novidade no inverno paulistano.

Recém saído do avião, José Henrique cruzou as portas automáticas. Trazia uma bolsa a tiracolo e puxava uma mala com rodinhas. Por ele, ainda usaria sua velha mochila, mas a mulher o havia convencido de que estava na hora de aposentá-la. “Parece um moleque cabulando aula”, dizia, não sem certa razão. Mesmo de terno e óculos escuros, aparentava menos que seus trinta e dois anos. Carioca, vinha sempre a SP a trabalho, e costumava ficar num hotel em Moema.
Continuar lendo